Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




tumblr_mfcckrbeut1qkaoroo1_500.jpg

Lembro-me de, aí pelos meus dez ou onze anos, ir de férias para o Algarve com os meus pais e um casal amigo e levar os seis livros da coleção As Gémeas, de Enid Blyton, e de ler os seis bem antes dos quinze dias das férias acabarem. O amigo dos meus pais resolveu batizar-me de "comedora de livros" e, de alguma forma, o nome ficou. É isso que alguns familiares e amigos mais chegados me chamam para se meterem comigo e rendeu-me muitos livrinhos como presente de aniversário.

 

O primeiro livro a sério que li foi Os Cinco na Ilha Perdida, também de Blyton, quando tinha oito anos, também no Algarve. Lembro-me bem do meu pai mo comprar e dizer que já chegava de livros da Anita. Desde aí, o meu grande vício começou. Em certas alturas, levei raspanetes da minha mãe por ler até tarde ou por querer levar livros para a escola e ficar na sala a ler nos intervalos em vez de brincar com os meus colegas. Ainda hoje sou mesmo assim, quando começo a ler um livro, não consigo parar. Agora, que penso nisso, é engraçado como os meus hábitos de leitura estão tão ligados aos meus pais, que não são muito chegados a ler livros. Lembro-me, por exemplo, da minha mãe, para me fazer treinar a leitura nas férias entre a primeira e a segunda classe, me ler uma história antes de dormir e, em troca, eu tinha que ler outra.

 

Pois bem, acho que posso concluir que tenho um pequeno problema com a leitura: gosto tanto, que não sossego até acabar. É ler, ler, ler e ler até serem seis da matina e o sol despontar na minha janela. Chego inclusive a evitar a leitura em certas alturas mais atarefadas. Disse aqui há um tempo que queria muito ler este livro. Acontece que ele agora é meu e é gigantesco, com mais de setecentas páginas. Estão a ver a chatice, não estão?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:01


16 comentários

Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 02.12.2014 às 12:34

O meu pai chateava-se comigo por eu "ler demais". Como se isso fosse um conceito aceitável "ler demais"... :D
Já que ele não me deixasse ler à mesa...compreendia, de beicinho. 
Imagem de perfil

De Mar Português a 02.12.2014 às 12:38

Ler à mesa, por acaso, nunca o fiz. Era mesmo o ler fora de horas. A minha mãe chegava a achar que eu estava a dormir e eu a ler num cantinho do quarto. Durante a minha febre de Os Cinco, que apanha toda a quarta classe, demorava três dias a ler um livro. Adorava aquilo. Fazia os TPC à pressa para ir ler. Claro está que fui proibida de ler durante a semana.
Imagem de perfil

De Sara a 02.12.2014 às 13:18

Tb li toda a colecção dos cinco e do colégio das quatro torres, os meus preferidos. Livros da Anita tinha alguns quando era mais pequena, achava graça ao pantufa...Ainda cheguei a ler alguns da colecção uma aventura, mas entretanto ao chegar à adolescência passei a gostar mais de romances. Os meus pais nunca me impediram de ler e compravam sempre que podiam, talvez porque era a única coisa que gostava...

 

Imagem de perfil

De Mar Português a 06.12.2014 às 16:01

Os meus não impediam, limitavam. A verdade é que eu não era mesmo em condições! Também iam comprando, sobretudo nas férias, mas fui muito habituada a frequentar bibliotecas.
Imagem de perfil

De Sara a 06.12.2014 às 19:23

Comigo o problema era não haver orçamento para todos os queria: tinha que esperar ate ter um novo, mas nessa altura podia escolher o que bem entendesse. Ainda tenho os meus livros juvenis, que reli muitas e muitas vezes, os infantis já dei.

Imagem de perfil

De Mar Português a 10.12.2014 às 00:06

Os meus pais também não compravam todos os livros que eu queria(era preciso outro ordenado). Fui muito habituada a ir a bibliotecas.


Infelizmente, tenho poucos dos meus livros infantis ou juvenis. Foram desaparecendo, de alguma forma. 
Imagem de perfil

De Nia a 02.12.2014 às 13:55

Este post quase que podia ter sido escrito por mim. Aconteceu-me o mesmo e da mesma forma.
Ainda esta semana passada evitei tocar no livro porque precisava mesmo de dormir, snão era uma desgraça. Mas hoje já voltei ao meu livrinho :D
Imagem de perfil

De Mar Português a 06.12.2014 às 16:03

Também estou em contenção com o Americanah, senão ainda ia ensinar tudo trocado aos miúdos,


Obrigada pela visita :)
Imagem de perfil

De Cherry a 02.12.2014 às 20:36

A mim não me intitularam comedora de livros, deram me o nome de "devoradora dos livros", algo do mesmo género que a tua "alcunha" e pelas mesmas razões.
Ainda me aconteceu este verão de levar o divergente e o insurgente para o Algarve e de ter acabado antes do tempo previsto, sendo que só pude ler o ultimo livro da trilogia quando voltei para a minha casa.
Beijinhos,
Cherry
Imagem de perfil

De Mar Português a 06.12.2014 às 16:41

Então talvez me compreendas, porque eu, nesse verão em que despachei os seis livros das gémeas em menos de quinze dias, moí o meu pai porque queria outro livro e toda a gente olhava para mim como se eu tivesse acabado de aterrar vinda da lua.
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 02.12.2014 às 22:33

eu comecei pelos livros do tio patinhas (a seguir aos da Anita). Depois foram os Cinco, Os Sete, o Colégio das Quatro Torres, as Gémeas... e nunca mais parei.
Cheguei a ir deitar-me e a tapar o candeeiro dum lado para que os pais não percebessem que estava acordada. Cheguei a deitar-me para ler meia dúzia de páginas e dar comigo com o despertador a tocar para me acordar... sem que tivesse dormido. Hoje não levo os livros para o quarto para evitar que tal volte a acontecer.
A minha filha chega a esconder os livros na casa de banho para os poder ler quando vai à casa de banho a meio da noite...
Imagem de perfil

De Mar Português a 06.12.2014 às 16:42

Essa história do candeeiro também me é familiar ;) Isso foi mesmo tal mãe, tal filha :)
Imagem de perfil

De Maria João Costa a 02.12.2014 às 23:21

Como te compreendo, e tal como tu nas fases mais atarefadas também os ponho de lado para evitar "dormir" durante o dia! Mas, a "comedora de livros" até é um nome carinhoso! :) Gostei!
Imagem de perfil

De Mar Português a 06.12.2014 às 16:43

Sim, foi sempre com carinho. Já vão mais de quinze anos e ainda me chamam isso :)
Imagem de perfil

De Receitas fáceis rápidas e saborosas a 03.12.2014 às 00:18

Olá gostei de saber a tua alcunha é uma boa alcunha, ler é maravilhoso, gostei também de saber que o teu primeiro livro foi da colecção Os cinco, o meu pai foi um dos ilustradores ele fez algumas capas dos desenhos dos livros dos 5 em Portugal, os mais antigos, porque houve várias edições. 
O não teres sossego até acabar um livro é sinal que estás a gostar, sou sincera alguns livros leio-os a velocidade da luz, outros largo-os a meio...
Um abraço
Ana
Imagem de perfil

De Mar Português a 06.12.2014 às 16:48

Um dos ilustradores d' Os Cinco? Isso é incrível! Talvez fossem mesmo os livros que eu tinha (já lá vão mais de quinze anos). Já não os tenho livros (e tinha a coleção quase toda). Não sei o que lhes aconteceu. Talvez tenha perdido alguns, emprestado outros que nunca retornaram, o resto, ainda que ela não admita, acho que a minha mãe os deve ter dado a algum lado quando comecei a ler outras coisas. Tenho mesmo pena de não os ter, aqueles primeiros livros, naquelas versões que já não se encontram. Obrigada pelo teu comentário. Acabaste de me aproximar dessa altura da minha infância.

Comentar post



Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.

Facebook


Instagram