Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



... o que para mim significa tudo o que está errado com os políticos em Portugal.

publicado às 22:21

Não concordo com o exame. Não vejo vantagens, nem acho que ajude. Acho, isso sim, que os professores (todos) tem de ser avaliados de uma forma igual. Este é um assunto sensível e a verdade é que estamos a falar de uma classe profissional difícil.

 

Tenho todo o respeito pelos professores e pela tarefa que desempenham - parte de mim será sempre (uma espécie de) professora - mas invadirem escolas e vigilantes que nem sequer comparecem? É um mau exemplo para os alunos e indigno de uma classe que se dedica a ensinar. Há, garantidamente, outras maneiras.

Etiquetas:

publicado às 10:35

O cenário poderia ter sido retirado da mais apocalíptica literatura. Um país entalado entre dois blocos de influência, um povo dividido entre a centenária ligação russa e a aliciante construção europeia, um momento histórico para a Ucrânia e para o mundo.

 

A situação é extremamente complexa e rios de tinta já correram, e ainda vão correr, sobre ela. Europa – Ucrânia – Rússia. Conheço as críticas feitas à União Europeia. Discordo da maioria, mas respeito. Sou a favor da Europa desde sempre. Com todos os seus defeitos, que incluem ter acordado tarde para a questão ucraniana, à União Europeia tem de ser reconhecida uma grande virtude: a diplomacia. É um processo lento e burocrático, dispendioso até, mas é mais limpo e, quando termina, tende a ser estável. A Rússia, por seu lado, irá tolerar todas as soluções possíveis para Ucrânia, incluindo a divisão do país, exceto um regime democrático em que perca a sua influência. É isso, provavelmente, o que está a acontecer agora.

 

À Ucrânia desejo o mesmo que ao meu país: que única ditadura possível seja a do povo. O que, em circunstâncias tão absolutamente impossíveis, quando aviões civis são abatidos, releva apenas num plano demagógico que muito pouco importa.

Etiquetas:

publicado às 09:39


Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.