Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vi os dois últimos episódios da quinta temporada de Uma Família Muito Moderna. (Atenção: spoilers a partir deste ponto.) Nestes episódios, Mitch e Cameron casam-se. Tudo parece correr mal, desde não terem os fatos de casamento a incêndios no local da cerimónia, mas o grande problema é Jay, o pai de Mitch, que, embora aceite a homossexualidade do filho, não está propriamente de acordo com o casamento. Só que, claro, no final, tudo fica bem porque Jay acaba por perceber que a única coisa que realmente importa é a felicidade de Mitch.

 

Gosto desta série, mas vejo-a sempre como a rival que arrebanha todos os prémios a A Teoria do Big Bang, essa sim, a minha favorita. Mas acontece que eu tenho esta teoria que o mundo tem finalmente de aceitar que todos temos o direito de sermos livres. Sim, claro, livres para votarmos em quem quisermos e expressarmos as nossas opiniões sem medos, mas também livres de preconceitos, de más línguas, de estereotipos, de olhares de lado. Sentir-se preso dentro de si mesmo ou ser rejeitado por aqueles que amamos não deve ser uma escolha que ser humano algum deva enfrentar. Por este motivo, esta única cena vale toda a sombra que a Família tem feito ao Big Bang. Uma série assim, que inspira as pessoas a aceitarem-se mutuamente e a nunca desistirem de serem felizes, relembra-me a célebre frase de Edward R. Murrow - a televisão "pode ensinar, pode iluminar e, sim, pode até inspirar. Mas apenas o pode fazer se os humanos estiverem determinados a usá-la nesse sentido. Caso contrário, não passa de cabos e luzes dentro de uma caixa. Há uma grande e talvez decisiva batalha a ser travada contra a ingnorância, a intolerância e a indiferença. A televisão pode ser uma arma útil."

 

Não deixem de ver os episódios.

article-2635906-1E17780500000578-312_634x504.jpg

The-Wedding.jpg

zap-modern-family-season-5-finale-the-wedding--009

publicado às 09:00


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.