Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ora, como não podia deixar de ser, lá estava eu no sofá, batidinha a ouvir as primeiras seis candidatas à final europeia. Acho isto das semifinais internas uma patetice que só serve para lhes duplicar o income de chamadas, mas, pronto, ninguém quer saber o que eu digo. Também acho que a apresentadora escusava de andar por ali semi-nua e com o cabelo lambido por uma vaca, mas isso sou eu que sou conservadora. Dispensava ainda ouvir outra vez o Quero Ser Tua, esse grande hit de 2014, mas devo ser eu que não percebo muito do assunto. Pois então, da minha perspetiva (que era aí de uns 30 graus à esquerda da televisão) foi assim:

 

Música nº1 - Lisboa, Lisboa (Rita Seidi) - Nem sei descrever isto. Quando ouvi a cantora dizer que quem compôs a música foi a Sara Tavares, acendeu-se em mim um raio de esperança ao lembrar o Chamar a Música de 94. Só que, mal vi a moça em palco, lá se foi o sol. Após os primeiros trinta segundos, lembrei-me que em 94 a Sara Tavares cantou, não compôs. É uma música tão estranha! A cara da Sara Tavares (reconheço!), mas estranha. O ritmo e toda a cenografia são mais África do que Lisboa e diz "bonito e barato, made in China". Do look da Rita, que é tão bonita, nem vou falar.

JOPvx.jpg

Música nº2 - "Há um Mar que nos Separa" (Leonor Andrade) - para mim, foi das melhorzinhas. Não nos vai levar muito longe lá fora, mas pronto, sempre não é assim nada que embarace e a miúda tem estaleca. Pedia só uma pequena ajudinha na parte do guarda-roupa.

 

Música nº3 - A Noite Inteira (Filipa Baptista) - O tema é banal, a rima é óbvia, o ritmo é muito bom para um baile de Carnaval e a encenação é parola. Basicamente, é a Suzy outra vez.

 

Música nº4 - Outra Vez Primavera (Yola) - um fado é sempre um fado e, se eu mandasse em alguma coisa, eles haviam de levar com fados na Eurovisão todos os anos. Mas, ainda que a vocalista tenha uma voz incrível (como, aliás, é o que se espera de uma fadista do Luso), a música não é tão forte como os fados que já levámos à Eurovisão, nem a presença em palco da cantora tão impressionante. E depois ainda há o penteado.

YOLA.png

Música nº5 - Tu Tens uma Mágica (Gonçalo Tavares) - José Cid criou a sua versão júnior com uma eficácia extrema. É tudo igual a ele: o ritmo, o cenário, o moço a cantar enquanto toca órgão, as bailarinas gaiteiras. Tudo! No contexto, acho que mereceu passar, mas espero que não ganhe a final. José Cid já foi à Eurovisão e até não lhe correu mal. O seu estilo é inconfundível e resulta... em José Cid. E é só.

 

Música nº6 - Paz (Adelaide Ferreira) - Cenário simples e sóbrio, não havia cá bailarinas aos pinchos, nem gente despida, mas parecia uma música de igreja. Há chão que já não dá uvas.

 

Para a final, fruto dos votos do público e dos compositores, passaram as músicas números dois, quatro e cinco. Acho que foi justo e podia ser muito pior (tal como já foi), mas continuamos a anos-luz de ganhar a final internacional. Vamos lá ver o que nos traz a semifinal desta noite. É fazer fisgas!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:28



Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.

Facebook