Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Recentemente fui ao Porto. Não parece nada de especial, considerando que moro a apenas 30 km da cidade invicta. Mas eu já não ia ao Porto assim há tanto tempo… Com sol, durante a semana, a baixa a fervilhar de gente. Aquela também é a minha cidade! Adoro o Porto quase tanto como a minha terra. Nasci no Porto. Fui estudante no Porto. É impossível passear-me pela Invicta e não ser inundada de memórias. O Assador Típico, ali em D. Manuel II, onde ia com os meus pais quando era miúda. O hotel Ipanema, no Campo Alegre, que para mim será sempre “o hotel dos rebuçados”, onde passei tanto tempo durante as exposições da empresa dos meus pais. Os Aliados, com toda a sua força, onde sempre parávamos para eu ver os pombos. A boutique A Baratinha e a sapataria Branca de Neve, onde aprendi tão bem a ser vaidosa. A Cordoaria que se ilumina e escurece, no primeiro domingo de maio, para a Serenata.

 

Só que é tudo! São as minhas memórias e é a cidade em si. Os Aliados e a Ribeira, o Douro e a Foz, a Sé e as Pontes, Serralves e a Casa da Música, o Parque da Cidade e os tantos jardins escondidos. Mas há mais… há tudo o que o Porto já ofereceu ao país. Há o vinho, claro, e a gastronomia tripeira. Há o nome que deu a Portugal e os muitos episódios que o tornam num lugar incontornável na história nacional. Há a alma do Norte, imbuída nas pessoas e até no São João. Há a antonomásia por que é conhecida – A Invicta – e que não é apenas uma alcunha. É um título concedido por uma rainha de Portugal em reconhecimento do papel fundamental na defesa dos ideais do liberalismo e da coragem e bravura (da fibra) demonstradas pela população aquando do Cerco do Porto. Há o tremendo potencial que o Porto (e Portugal) ainda tem. Ainda assim, o Porto é bem mais do que a soma de todos estes elementos, alguns dos quais nem permitem a adição. Porque o Porto é mais do que uma cidade. Tem mais qualquer coisa. É um estado de espírito.

 

Dessa minha tarde no Porto fica-me a mesma certeza de sempre. Portugal tem cidades lindíssimas. Aveiro e a ria. Coimbra e a Universidade. Évora, a Cidade-Museu. Viana com o Folclore tão português e a filigrana que eu tanto adoro. Sintra com os seus palácios e palacetes, castelos e conventos, que não é oficialmente uma cidade mas cuja beleza é inquestionável. Lisboa e tudo, tudo o que a torna numa capital que de facto faz justiça ao seu país. Mas o Porto, a “Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta” cidade do Porto, é mesmo a mais bonita de Portugal.

 

 

Etiquetas:

publicado às 08:12



Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.