Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Recencentemente, disse aqui que sou fã da série Friends. A T. também adora e foi com surpresa que ontem a ouvi dizer "aquela que faz de Monica gosta muito de cirurgias plásticas". Como? A Courteney Cox? Aquela que eu sempre achei tão mais bonita que a Jennifer Aniston? Puxei pela cabeça até me lembrar dela nas últimas temporadas e nãome surgiu uma imagem plastificada. Lá lhe perguntei porque dizia aquilo e ela explicou-me que viu o anúncio à série que a Couteney Cox faz atualmente e que se nota muito. Fui investigar.

 

Esta era a Courteney Cox enquanto Monica Geller:

E, bem sei que já lá vão dez anos, agora:

Não percebo!

publicado às 10:09

Soube hoje que ontem fez vinte anos que estreou a série de culto Friends, que teve grande impacto na altura por abordar a vida de jovens adultos que encaram sem tabus a sua vida sexual. Com diálogos brilhantes, a comédia sempre presente, o elenco perfeito, um conceito à época inovador e uma audiência tão variada, não percebo como só ganhou o Emmy uma vez. Mesmo assim, a série conseguiu - não foi esquecida. Já vi todos os espisódios e ainda agora vejo. A minha irmã também adora. Para mim, bate qualquer comédia atual e nunca deixo de rir com os disparates e as peripécias de Rachel, Ross, Monica, Chandler, Phoebe e Joey. 

Quando me sinto deprimida, mas não tenho tempo para isso, ouço a música inicial para me animar. E resulta! Claro que eu sei que aquilo não existe - amigos que vivem juntos, fazem tudo juntos e estão todos os dias juntos. Mas lembra-me que existem amigos com quem se pode contar sempre, numa versão real que é melhor que a da série - mesmo não estando sempre juntos, são amigos daquela maneira when the rain starts to fall. Porque o melhor de Friends, muitas vezes acusada de ser superficial, é o seu conceito bem profundo - que os amigos são, mesmo não tendo esse nome, família. 

P.S.: É este género de coisa, pensar nessa família escolhida que eu tenho a sorte de ter, que me deixa os olhos a picar e as emoções em descontrolo. O que se há-de fazer, sou chorona.

publicado às 13:50


Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.