Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Seja em moda, joalharia ou decoração, é certo e sabido que há um lugar onde todos encontraremos uma paixão - a  Ivomaia [designers]. Para mim, na última designINSIDE (que podem recordar aqui, aqui, aqui e aqui), foi uma camisola, um vestido, um banco, um prato, uns brincos, outros brincos... bom, a lista nunca acaba! E é já no próximo sábado a 10ª edição da designINSIDE, que apresenta a nova coleção. Frescura, originalidade e criatividade, são essas as promessas de Clorofila, que já este sábado, a partir das 15:00, fará desabrochar todas as cores, na Ivomaia [designers], em Santa Maria da Feira.

11047062_856890491016988_2002636792_n.jpg

Quem não puder mesmo, mesmo vir, pode contar com todas as novidades aqui no blogue.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:02

Este é o sítio que não se vê, mas foi o que mais gostei. Há um forno elétrico para as eventualidades, um fogão e uma batedeira. Tudo o resto é feito à mão e cozido em forno a lenha. O bolo brigadeiro, o salame de chocolate com fogaça, croissants e pastéis de nata, tartes e semifrios, bolachas, scones e caladinhos e todas as variedades de fogaça que já descrevi. Tudo começa aqui, numa cozinha espaçosa e cheia de sol, onde cada coisa tem o seu lugar para, no final, todas se misturarem numa harmonia de cheiros e sabores que é impossível ignorar. Tudo é delicioso no Museu e foi na sua cozinha que encontrei a explicação. O chocolate é mesmo chocolate, a manteiga é mesmo manteiga, as framboesas são frescas e tudo é feito no dia, com aposta numa confeitaria diferente, que procura e cria as suas próprias receitas.

 

Para além da Festa das Fogaceiras, que ocorre a 20 de janeiro, o Museu Vivo da Fogaça acompanha os outros eventos da terra, trajando-se a rigor para a Viagem Medieval e vestindo-se de cor para o Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua. Mas, já aí está Perlim – Uma Quinta de Sonhos, um parque temático de Natal, e o Museu criou um doce especial, as Bolas de Perlim, que são feitas no forno (ao invés de fritas), recheadas com um creme colorido com corantes naturais e polvilhada com brilhantes comestíveis. O resultado é mágico e é impossível olhar para elas sem nos sentirmos invadidos pela magia que o evento proporciona.

 

Ainda assim, o que torna este espaço realmente especial são as pessoas. Todos com simpatia e um sorriso no rosto, partes num projeto em que acreditam. E, naturalmente, a extraordinária equipa de criativos que pensa e repensa, tenta e volta a tentar, até chegarem ao resultado perfeito.

IMG_5858.JPG

IMG_5800.JPG

 Os scones a ganharem forma.

IMG_5805.JPG

IMG_5837.JPG

Prontos para ir ao forno, os caladinhos são outro dos doces típicos de Santa Maria da Feira.

IMG_5842.JPG

IMG_5853.JPG

IMG_5886.JPG

IMG_5890.JPG

IMG_5892.JPGIMG_5789.JPGIMG_5786.JPG

IMG_5902.JPG

O Doce de Pereiras, um pão de ló glaceado, em forma de escudo, que homenageia a história da cidade, outrora casa dos Condes da Feira, os Pereiras.

IMG_5827.JPG

 As Bolas de Perlim, criadas para o evento Perlim - Uma Quinta de Sonhos, com o seu aspeto absolutamente mágico.

Um especial obrigada à Lina e ao Tiago, que nos receberam de forma tão gentil e genuína e nos deixaram bisbilhotar a sua arte.

 

E, claro, adivinhem lá a quem ainda não agradeci? Ao meu fotografo-das-horas-vagas, que se levantou às seis da manhã de um domingo para dar imagem a mais uma das minha aventuras. Obrigada!

 

Tudo sobre o Museu, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:27

A eterna fogaça

11.12.14

Esta é a grande missão do Museu Vivo da Fogaça: manter vivo o sabor da mais antiga tradição feirense. Vivo porque existe, todos os dias, no espaço único que é o Museu. Vivo porque mexe, percorrendo o país a espalhar sabores e tradição. Vivo porque evoluí, adicionando, experimentando e reinventando, sempre com respeito pela tradição, uma série de produtos únicos. É assim que vemos desfilar a corte – uma corte das fogaças.

 

Há a imperatriz, uma fogaça especial, recheada com trufas e coberta com frutos vermelhos. Há a rainha, uma fogaça com frutos secos que cheira e sabe a Natal. Há a princesinha, uma fogaça individual com pepitas de chocolate. E há as cortesãs – ou, como gosto de chamar-lhes, a fogaça-bombom – uma mini fogaça recheada com creme de frutos silvestres, de rum e baunilha ou de café.

 

Fora desta corte, mas também deliciosas, encontram-se a fogaça de frutos secos, nascida das opiniões e experiências das várias recriações medievais do país, e as fogacinhas com ovos moles, uma lambarice que homenageia o distrito de Aveiro.

 

Na forma tradicional ou nas muitas variantes, normais ou torradas com compota, manteiga e chocolate, há um ponto comum. São todas, absolutamente, deliciosas. 

IMG_5845.JPGIMG_5844.JPG

IMG_5852.JPG

 IMG_5706.JPG

IMG_5700.JPGIMG_5709.JPGIMG_5695.JPG

Os tradicionais cortes da fogaça, que lhe dão a forma das ameias do Castelo de Santa Maria da Feira.IMG_5874.JPG

IMG_5881.JPG

IMG_5910.JPG

IMG_5912.JPG

IMG_5920.JPG

 As cortesãs de framboesa, em primeiro plano. Atrás, as de café e as de rum e baunilha.

IMG_5754.JPGIMG_5930.JPG

 As fogacinhas com ovos moles.

Mais sobre o Museu e as suas fogaças, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:52

Aqui, na minha cidade, há um Museu que honra e eterniza um dos tesouros do património local – a fogaça. Só que este não é um Museu qualquer.

 

Quem lá vai, sente os cheiros, as músicas, as conversas, os livros, os sabores. A Paula e o Moisés, que nos receberam com tanta cortesia e que nos deram total (e privilegiado) acesso, vivem e respiram a sua criação – a primeira fogaçaria de Santa Maria da Feira. O termo é original e único, ainda que existam muitas casas a fazer fogaça na cidade. E, claro, tal como o nome, tudo aqui tem uma história, foi sentido e pensado. Está vivo.

 

O espaço é um só mas divide-se em três espaços únicos: a sala de leitura, que convida e incentiva com os seus livros e sofás, o pátio das cantigas, emoldurado por um palco com piano e gramofone, e o cantinho das degustações, com um balcão a fazer lembrar as mercearias de antigamente. E, se os livros servem para ler e os doces para saborear, o palco ilumina-se para alguns espetáculos. Nas paredes, que também não têm descanso, há exposições temporárias de fotografia, escultura, desenho ou pintura.

 

Ao falar com os proprietários, é impossível não sentir o entusiasmo e o carinho que têm pelo seu projeto. Quando pedi para, sucintamente, definirem o Museu, ouvi uma resposta franca e inusitada. “É uma porta aberta. Aqueles são os nossos livros, as músicas que passam são os nossos cds. É uma porta aberta para a sala da nossa casa.”

IMG_5723.JPG

 O cantinho das degustações.

IMG_5728.JPG

A sala de leitura. 

IMG_5733.JPG

 O pátio das cantigas.

IMG_5775.JPG

IMG_5739.JPG

 A tradicional fogaça, que dá nome ao espaço, aqui em cerâmica.

IMG_5742.JPG

IMG_5749.JPG

 Chamoa, o licor oficial da Viagem Medieval de Santa Maria da Feira.

IMG_5756.JPG

IMG_5761.JPG

IMG_5763.JPG

IMG_5765.JPG

IMG_5769.JPG

IMG_5896.JPG

IMG_5936.JPG

IMG_5939.JPG

Mais sobre esta casa incrível no site oficial e aqui, no blogue, nos próximos dias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:02

IMG_201411320_075222.jpg

... Cozinhar novidades.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

13242_10152778031664286_7582335202784835414_n.jpg

Perlim é uma terra de encantar, povoada por duendes e onde a magia do Natal é mais forte e recheada de surpresas, doçuras, cores, brincadeiras e imaginação. Este mundo encantado tem uma identidade própria e que as crianças conhecem bem. Lá, fala-se a linguagem dos pês, podemos cruzar-nos com fadas, princesas e duendes e deliciarmo-nos com as Bolas de Perlim.

1385368_10152905324701177_5610526474458481402_n.jpPara miúdos e graúdos, Perlim abre as suas portas de 4 de dezembro a 4 de janeiro, de quinta a domingo, em Santa Maria da Feira.

 

VêPêMoPo-NosPos LáPá!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:03

IMG_201411311_101625.jpg

Há um sítio que combina literatura, boa música e muitas coisas deliciosas. Um dia, falo melhor disso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:14

Vou começar por agredecer ao meu fotógrafo-das-horas-vagas, que fotografou isto tudo, uma tarde inteira, depois editou e selecionou e nunca se queixou (até rimou). A única falha foi não ter fotografado mais roupinhas (mesmo coisa de homem), mas até está muito bem assim, que ninguém tem nada que ir lá buscar as que eu quero.

 

Agora a sério: para quem gosta de moda de autor, coisas originais e de ter um estilo diferente (podem ir lá e olhar para a Liliana, que é gira todos os dias), é preparar para as próximas fotos, que ainda assim ficam aquém da realidade. Mas pronto, se quiserem muito, eu posso sempre fazer o grande sacrifício de voltar lá e fotografar o que falta. E já sabem, pessoalmente ou via Facebook... tudo é possível, nas vossas casinhas, por esse Portugal fora.

 

Pela última vez, o meu muito obrigada ao Ivo e à Liliana e, na próxima edição da designINSIDE, de mim já não se livram.

As cores da nova coleção.

Adoro estes, mas, infelizmente, equilibrar-me em saltos altos não é o meu forte.

As carteiras e clutches But Monster, da autoria do designer da casa, Ivo Maia.

Detalhe da clutch But Monster.

Coleção de acessórios But Monster (bandoletes, alfinetes e colares). 

Colares But Monster em pormenor.

Eu e a minha adoração por ursinhos.

 

Designers presentes na secção de moda e acessórios: Ana João, Ana Pina, Carla Pontes, Carolina Curado, Catarina Militão, Catarina Sequeira, Fernanda Pereira, Fever, Guava, Ivomaia [designers], JJ Heitor, Margarida Vilela, Maria Gonçalves, Maria Maleta, Marlene Oliveira, Najha, Nicole Vidal, Opposite, Paula Vieira, Sandra Olbeche, Sister Project, Studio, Susana Nunes, Vitor Dias, Wek.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:35

Bem, vamos lá então espreitar bem a designINSIDE. Gosto da secção de moda, mas, tivesse eu uma casa, era na parte de decoração que estava verdadeiramente metida em sarilhos. Escolher as fotos até um mínimo aceitável para um post foi mesmo difícil. Vou deixar o nome dos criadores no final do post (espero não me ter escapado nenhum) e, já sabem, qualquer produto é encomedável via Facebook, onde podem encontrar todos os contatos. Ao ver estas fotos, tenho mesmo que deixar um obrigada à Liliana, que teve uma paciência de santo a mostrar-me tudo ao pormenor e a responder aos meus triliões de perguntas.

Um segmento menos comum na loja, e que é uma novidade, são estes artigos de papelaria, que qualquer apaixonado por escrita adoraria.

E aqui, o livro de desenhos mais original do mundo. Todas as páginas têm buracos e os olhos encontram-se na última página, o que faz com que os 'monstros' possam ser desenhados em torno dos mesmos.

Nunca tive uma relação com um banco, mas acho que é amor.

Os livros-jarra.

Sagradas famílias com um toque moderno, sem perderem a sobriedade.

 

As 'minhas' fogaceiras, que agora têm companhia.

  

  Mais uma das minhas paixões.

Blanket Things, da autoria do Ivo Maia, o designer da casa.

Os Candeeiros Pessoa, também da autoria do Ivo.

 

Desiners presentes na secção de decoração: Angelina, Anna Westerlund, Burel, Iva Viana, Ivomaia [designers], Laboratório de Histórias, Meshe, Mon Monster, Remix, Rosabengala, The Whistler, Vira Retro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:04

Foi giro, giro, giro! Passei lá boa parte do tempo e nunca me senti cansada ou entediada, com as pessoas sempre a entrar e a sair, as várias conversas e todas as coisas lindas pelas quais morri de amores, especialmente na parte da decoração. Vou mostrar tudo em dois posts com muitas fotos e pouco paleio, cada um dedicado às duas àreas em que o espeço se divide: decoração e moda/acessórios. Por agora deixo só algumas fotos mais gerais do evento (enquanto as outras três mil quinhentas e cinquenta e quatro são editadas) e o Facebook e o site da galeria. Se não puderem ir lá, mas gostatem de qualquer artigo que vejam, quer aqui, quer no site, no Facebook ou noutro lado qualquer, é possível encomendar. E podem contatar sem medo, ainda que só para pedir informações, porque, mesmo por mail, a simpatia do Ivo e da Liliana é evidente. A sério, para além de tudo o que eu adoro ali - o espaço é giríssimo, tudo é fora do vulgar, a garantia de que são peças algo únicas - o que mais gosto é mesmo do Ivo e da Liliana. Era capaz de passar ali um dia inteiro só a conversar com eles. (Mas descansem, ok? Não vos vou fazer isso.)

 

Bem, chega de conversa e vamos lá às fotos. Antes, quero só agradecer e deixar um beijinho muito especial para o Ivo e para a Liliana que nos receberam tão bem e sem reservas. A todos os que por aqui passarem, espero que gostem:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:18


Joana

foto do autor


Neste mar

Sobre tudo e sobre nada. História e política. Brincadeiras e aventuras. Literatura e cinema. Trivialidades e assuntos sérios. Arte e lusofonia. Dia-a-dia e intemporalidade. E, claro, um blogue com sotaque do norte.

Facebook


Instagram